A história do Cabo de Santo Agostinho começa bem antes da chegada dos portugueses ao Brasil. O município era povoado por indígenas da etnia Caetés. As primeiras povoações, chamadas de Arraial do Cabo, surgiram na segunda metade do século XVI. Em 1560, João Paes Barreto já instituía o Morgado de Nossa Senhora da Madre de Deus do Cabo de Stº Agostinho, vinculando o Engenho Madre de Deus, depois chamado de Engenho Velho. A escritura foi redigida em 28 de outubro de 1580.
     Segundo afirma Sebastião de Vasconcelos Galvão, autor do Dicionário Iconográfico, Histórico e Estatístico de Pernambuco, o povoamento sede do Município vem de 1618; antes dessa data compunha-se de algumas casas esparsas, distantes uma das outras.
        Transcorridos mais de duzentos anos de ter sido a Povoação de Sto Agostinho elevada à predicação de Paróquia é que foi criada a Vila do Cabo de Sto Agostinho, por força do alvará de 27 de julho de 1811 e Provisão Régia de 15 de fevereiro de 1812, enviada ao então governador da Província, o General Caetano Pinto de Miranda Montenegro.
        Sua instalação, no entanto, ocorreu em 18 de fevereiro de 1812, pelo ouvidor e corregedor-geral da Comarca de Recife, o Doutor Clemente Ferreira de França. Foi elevada a categoria de cidade a então Vila do Cabo de Sto Agostinho em 09 de julho de 1877, pela lei provincial nº. 1.269, para a denominação de Município de Santo Agostinho do Cabo.
         O Cabo teve sua economia centrada no desenvolvimento da monocultura da cana-de-açúcar, a partir de 1570, com a doação de sesmarias ao longo do Rio Pirapama. Tendo João Paes ocupado as terras a ele concedida em 1571, ao sul do Rio Araçuagipe (Pirapama), funda o primeiro engenho bangüê que denominou Madre de Deus (hoje, Engenho Velho), o mais antigo centro açucareiro da Região. Mais tarde, com a criação de novos engenhos, o Cabo passa a representar o poderio econômico de Província de Pernambuco, época em que a cana-de-açúcar representava a força de crescimento do país.
         O município guarda um grande acervo histórico, cultural e religioso, como os antigos engenhos que ajudaram a colocar Pernambuco no topo mundial da produção de açúcar no Século XVII. Engenhos antigos, como o Engenho Massangana, que fez parte da infância do abolicionista Joaquim Nabuco, possuem um significativo valor histórico. Com uma arquitetura típica da época, o Engenho Massangana é um patrimônio arquitetônico representativo da sociedade rural do Nordeste do Brasil.
         Atualmente, o município do Cabo de Santo Agostinho é considerado o maior núcleo industrial de Pernambuco. O Porto de Suape favoreceu a construção de um parque industrial nas suas proximidades, sendo considerado um dos complexos industriais e portuários mais importantes do Brasil.
         A população do Cabo de Santo Agostinho ganhou, em 03 de dezembro de 2013, uma Subseção Judiciária, com duas varas federais de Pernambuco as 34ª e 35ª, que foram assumidas pelos juízes federais Joaquim Lustosa Filho e Claudio Kitner, respectivamente. A Subseção foi inaugurada pelo presidente do Tribunal Regional Federal da 5ª Região o desembargador federal Francisco Wildo e o diretor do Foro juiz federal Frederico José Pinto de Azevedo. A instalação das varas cumpre a Lei nº 12.011/2009, que discorre sobre a criação de varas federais e consequente interiorização da Justiça Federal.


Fontes de Pesquisa:

CABO DE SANTO AGOSTINHO.In: Wikipédia: a enciclopédia livre. Disponível em: http://pt.wikipedia.org/wiki/Cabo_de_Santo_Agostinho. Acesso em: 15 set. 2014.

CABO DE SANTO AGOSTINHO: municípios. PE-AZ seu portal em Pernambuco. Disponível em: http://www.pe-az.com.br/index.php?option=com_contentview=articleid=1174:cabo-de-santo-agostinhocatid=12Itemid=171. Acesso em: 15 set. 2014.

GASPAR, Lúcia. Engenho Massangana. Pesquisa Escolar Online. Recife, Fundação Joaquim Nabuco. Disponível em: http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar../index.php?option=com_contentview=articleid=256Itemid=184. Acesso em: 15 set. 2014.

PREFEITURA DO CABO DE SANTO AGOSTINHO. Disponível em: http://www.cabo.pe.gov.br/index.php/nossa-cidade/. Acesso em: 15 set. 2014.